[Editorial FPN] Paulo Freire vive!

O retorno às aulas presenciais em Ponte Nova coincide com as comemorações do centenário de Paulo Freire (*19/9/1921, em Recife/PE, e + 2/5/1977, em São Paulo/SP).

Este educador e filósofo é considerado um dos pensadores mais notáveis na história da pedagogia mundial, tendo influenciado o movimento da Pedagogia Crítica. É também o patrono da Educação Brasileira, destacando-se como o brasileiro mais homenageado da história, com 35 títulos de Doutor Honoris Causa de Universidades da Europa e das Américas.

Oportunamente, a Assembleia Legislativa de Minas Gerais/ALMG promoveu em 20/9 solenidade comemorativa, atendendo requerimento da Bancada do PT. “Paulo Freire é uma grande referência no mundo todo. Seu legado e sua sabedoria precisam ser perpetuados e celebrados. Paulo não está mais entre nós, mas continua nos ensinando sobre uma educação transformadora”, afirmou o deputado petista Cristiano Silveira.

Nita Freire, viúva de Paulo Freire, que não pôde comparecer ao evento, deixou uma mensagem: “Paulo se foi, mas sua herança benéfica, intelectual, de meditação e dignificação do outro e da outra estão presentes em nós em cada dia que vivemos no Brasil.”

Para marcar a data, a Mesa da ALMG recepcionou comitiva de Acaiaca, pois ali funciona a Escola Família Agrícola/EFA Paulo Freire. O coordenador escolar, Gilmar de Souza Oliveira, recebeu placa comemorativa e destacou a atualidade do pensamento freiriano, prevendo trocas de saberes e conscientização sobre questões sociais e seus reflexos no processo de aprendizagem crítica.

Não por acaso, Gilmar estava acompanhado de Robison dos Santos/PDT, vice-prefeito de Acaiaca, e do vereador João Paulo Araújo/PT. Compareceram ainda representantes acaiaquenses de: Folia de Reis, Sindicato dos Trabalhadores Rurais, Comissão de Mulheres, Cooperativa da Agricultura Familiar e Associação de Grupos Culturais e Artistas da Terra.

Esta FOLHA faz o registro em reconhecimento ao legado freiriano e pela bem-vinda projeção da EFA, com seu modelo desenvolvido a partir da Pedagogia da Alternância. Trata-se de modelo francês enfatizado por Paulo Freire, por valorizar a formação integral de estudantes oriundos de comunidades rurais, priorizando a harmonia das demandas específicas da vida no campo com as do ensino e da profissionalização.

*Disclaimer: Este editorial foi elaborado pela equipe da Folha de Ponte Nova na edição 1677 e integra a coluna da FOLHA no blog do OPN. As informações contidas neste editorial não refletem, necessariamente, a opinião do OPN.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.