[Editorial FPN] Obras de qualidade

Nesta semana, o prefeito Wagner Mol/PSB respondeu aos vereadores Sérgio Ferrugem/Republicanos, Guto Malta/PT, Suellenn Monteiro/PV e Wellerson Mayrink/PSB atualizando informações sobre a nova alça do Anel Rodoviário, com extensão de 10km.

“A primeira etapa compreende a extensão de 1,6km, que se iniciará no trevo da rodovia MG-120 (no acesso ao bairro Cidade Nova) indo até imediações do Parque Municipal Passa-Cinco. Para esta etapa, contamos com emenda parlamentar de R$ 3,09 milhões e R$ 3,11 milhões em recursos próprios”, revelou o chefe do Executivo para acrescentar:

“Salientamos que este trecho é o que mais demanda movimentação de terra (aterro/desaterro), conforme projeto e estudo realizados: por isto, este valor mais significativo. Para as outras etapas, estamos detalhando os projetos e, por conseguinte, alocaremos recursos de emendas parlamentares federais, estaduais e recursos próprios.”

A perspectiva de tão importante obra é, sem dúvida, uma esperança geral, pois basta verificar o trânsito de carretas (e seu impacto no piso de nossas ruas e avenidas) para evidenciar a necessidade desta e da última alça, esta ligando a MGC-120 à MG-262.

O desejo geral é que tal obra tenha, pela sua magnitude, a qualidade esperada por todos, pois, de tempos em tempos, deparamos com diversas frentes de trabalho inacabadas ou concluídas “com ressalvas”, se podemos dizer assim. 

Um desses casos é o da construção do muro de gabião na rua Coronel Emílio Martins/bairro de Fátima. O próprio prefeito respondeu à indicação de Emerson Carvalho/PTB e detalhou a “novela”:

– O processo de licitação concedeu à Prumo Engenharia a execução da primeira parte da obra. Os engenheiros da Prefeitura, no entanto, detectaram “problemas técnicos”, com imediata notificação administrativa da empresa. Como a Prumo não acatou o pedido, foi notificada judicialmente.

“Ocorre que, devido à questão judicial, a Prefeitura não pode intervir com recursos próprios para a correção do problema, sendo que a empresa também não recebeu pelo serviço até então prestado. Outrossim, o local é vistoriado diariamente e a Secretaria Municipal de Obras cobre permanentemente o trecho com lona para evitar mais transtornos aos moradores”, informou Wagner Mol.

Por estas e por outras, fica a torcida pela alça do Anel Rodoviário, mas com precauções para se garantir serviço final de qualidade.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.